Project Description

Na virada do ano de 2014 para 2015 tive a oportunidade de ir conhecer a Bolívia e fotografar seus altiplanos, atravessando o país por Santa Cruz de La Sierra, Sucre, Potosí e chegar ao salar de Uyuni (maior deserto de sal do planeta) para cruzar toda a região de Sud Lipez, até a fronteira com o Chile.

A Bolívia é um país incrível, de natureza exuberante, povo simples e acolhedor, mas pobre e sem grande marketing em seu potencial turístico. Pratica uma conservação consciente de sua biodiversidade e certamente merece mais atenção dos viajantes.

Ao atravessar a fronteira com o Chile, fica clara e evidente as diferenças entre os dois países. Até hoje magoados um com o outro, por conta de guerras recentes, (onde bolivianos perderam sua conexão com o mar para o chilenos), os dois povos não se dão. O Chile deu um salto econômico considerável nos últimos 30 anos, e é o país mais desenvolvido da America do Sul. Isto é facilmente percebido na organização social, turística, estradas em perfeitas condições, povo educado, porém duro e extremamente nacionalista. O Deserto do Atacama, uma das regiões mais secas do planeta, é a continuação do Altiplano Boliviano, porém em território chileno. Vulcões por toda parte, crateras, salares, desertos de corais petrificados, dunas, lagos alcalinos e cidadelas perdidas dão o tom inóspito mas de cores quentes e vibrantes.

Deixo aqui as minhas impressões sobre esta travessia espetacular, apresentando visualmente o que vi e vivi por lá.