Ontem foi o primeiro dia atrás dos pumas aqui na Patagonia, na expedição fotográfica da One Lapse.

A animação do grupo é contagiante e mesmo sem ver nada, estavamos todos muito animados, talvez até demais para o guia local. Hoje , pela manhã durante o café, ele deu uma chamada no grupo e disse que teríamos que ser mais silenciosos, mais comedidos, e mais focados. Vamos nessa.

Logo pela manhã, já circulando ainda escuro ao redor do parque, fomos direto para a Laguna Amarga. Ontem, vimos uma carcaça de ovelha, ainda fresca à beira desta linda lagoa, e decidimos voltar hoje cedo ali para ver se haviam pumas se alimentando. Nada. Nisso, toca o rádio, e era o guia naturalista, avisando “apurate, apurate amigo! Tengo 5 pumas aqui comigo!” Nosso guia saiu cantando pneu da van em direção a localidade indicada, mas ainda levamos quase 10 minutos para chegar lá. Estava escuro e todos na van adrenalizados. Cinco pumas juntos? É sorte demais. Ao chegarmos, ainda deu para vê-los subindo uma montanha ao lado da estrada, e se assustaram com as pessoas saindo do carro. Consegui fotos – mais para registros – deles no topo desta montanha, e em um sopro, sumiram. O guia ficou furioso com a oportunidade perdida.Era a primeira vez que ele mesmo tinha a oportunidade de ver 5 indivíduos juntos.

Rodamos mais algumas horas pelo parque e nada. Nada mesmo. Paramos para almoçar em um mirante espetacular (Mirador NordenSkjold) que te coloca cara-a-cara com o maçico do Torres del Paine, e ali gastamos um tempo fotografando esta paisagem. Variei um pouco as lentes e consegui bons resultados.

 

Depois do almoço, o guia sugeriu que fizéssemos uma pequena trilha, de uns 3km, para tentar avistar algo. A trilha era curta porém sensacional, passando por cenários de filme e uma floresta seca, ainda resquícios da grande queimada de 2013 aqui no Parque. Logo no começo da trilha um dos guias naturalistas avistou 2 pumas no alto de uma montanha. Paramos e fizemos algumas fotos, mas muito de longe. Fomos nos aproximando , e novas fotos, ainda longe. (cerca de 300mts). Neste momento, os pumas se incomodaram com a presença humana e se retiraram calmamente para o interior de um bosque. Era o fim daquela miragem. Não vimos nada mais, além de uma carcaça sendo devorada por um gavião Carcará, mas conseguimos boas fotos de paisagem pela trilha. Este lugar é realmente inspirador. A luz é sempre baixa, sempre boa e dramática, mesmo ao meio dia, uma hora da tarde.

Terminamos o dia fotografando.. mais guanacos! desta vez, um bando enorme, fazendo pose com as Torres Del Paine ao fundo. Fotos memoráveis, mas nada daquela fotaça do puma que tanto queremos.