Pela minha programação original, voltaria de El Chalten para El Calafate daqui a 2 dias, (domingo, 20/05), para fazer o trekking no glaciar Perito Moreno na segunda feira, mesmo dia de chegada dos demais participantes do Workshop de fotografia da One Lapse (entenda o que é isto aqui). Dessa forma, passaria a segunda-feira toda no trekking, e encontraria o grupo pela primeira vez somente a noite.

Porém com a previsão do tempo péssima já para sábado – vento forte, tempo fechado e possivelmente chuva – na sexta feira de manhã decidi antecipar tudo em um dia. Mudei o trekking de segunda para domingo, antecipei a reserva do hotel para sábado e resolvi voltar sábado mesmo. Me despedi do Sr. Max na sexta a noite, paguei a hospedagem (USD120 por 4 noites) e deixei tudo pronto. Ainda fiquei com uma fantasia de acordar de madrugada para ver se daria um belo nascer do Sol mas o sono e o cansaço falaram mais alto e eu dormi profundo, acordando somente as 9 da manhã, junto com o Sol. Nao estava chovendo tampouco fechado o tempo; o Fitz Roy estava visível (coisa rara na minha viagem) e havia uma leve nuvem bem alta no céu, deixando o céu esbranquiçado mas ainda um pouco azul.

Saí sem café da manhã mesmo, joguei tudo no carro e rumo à estrada. Antes, porém, parei no (único) posto de gasolina de El Chalten, na entrada da cidade e completei o tanque (ARS700) já que até El Calafate não tem posto. Nisso que estou colocando gasolina, reparo na bela vista que o funcionário do posto tem diariamente! A montanha do Fitz Roy espetacular `a sua frente com a cidadela de El Chalten logo abaixo. Resolvi fazer algumas fotos, quando uma enorme neblina entra na cidade, deixando a cena ainda mais dramática! Realmente estava ventando um pouco mais forte, empurrando a neblina o tempo todo. Durante 20 minutos a cena foi mudando radicalmente, de fechado a a aberto, e eu ali clicando tudo aquilo incrédulo. Percebi que estava perdendo muito tempo de estrada, e resolvi tomar meu rumo, mas era impossível. A montanha se abriu completamente para mim, com nuvens e névoas dançando ao seu redor, ora tampando a cena, ora abrindo, tudo iluminado pelo Sol matinal uma luz levemente quente e bem lateral, e nisso eu gastei umas boas 2 horas parando em diversos pontos da estrada para clicar. Cheguei a pensar seriamente em voltar e tentar a trilha da Laguna Capri, uma das mais fáceis (2:30h/ida) e belas e que eu não fiz por causa do tempo! justamente por causa do tempo, mudei minha volta e justamente hoje, previsto chover e ventar, me abre esse tempo espetacular! Chegou a ficar quente! Fiquei sem gorro e luva por todo o dia! Incrível! Ficou nítida a intenção de El Chaltén de “me mostrar” o potencial do lugar, com uma manhã memorável de luz linda e nuvens esvoaçantes. Essa “amostra” final foi a senha q eu precisava para ter a certeza que voltarei muito em breve a este lugar, em outra época do ano, provavelmente início de abril , e fazer as fotos nas trilhas.

Pela estrada ainda fotografei algumas belas águias-mora, guanacos e cenários de montanha. Já chegando em El Calafate resolvi dar uma parada na atração turística Grutas del Walichu, umas cavernas com inscrições rupestres. Cheguei em cima da hora de fechar (16h) mas o funcionário deixou eu entrar. A entrada custa ARS150 e honestamente não vale a pena. As inscrições estão super mal conservadas, você mal enxerga o que eles dizem que tem ali! Não recomendo, infelizmente. O melhor são as vistas para o lago, mas não é preciso pagar para ver isso, você pode ver de qualquer lugar da cidade.

Segui para El Calafate, encontre minha pousada – ótima – Nau Patagonia, deixei as coisas e fui comer algo, percebi que nem café da manhã tinha tomado e ja eram 18h! Comi um gigantesco hambúrguer de cordeiro com batatas e cerveja Patagonia no Pietro’s (ARS415), e voltei à pousada para descansar e dormir. Amanhã tem trekking no gelo!

Dicas, custos e etc

Hospedagem em El Chalten (4 noites) –  Casa do Max (bookings.com) USD120. Eu daria 1 estrela pra essa hospedagem, mas segue o jogo.

• Gasolina (tanque cheio) AR$700
• Atração turística: Grutas de Walichu AR$150 (não recomendo, leia acima)
• Jantar no Pietro’s (el Calafate) AR$415