Chegamos ontem em Cerro Castillo. Uma pequena vila, construída por uma família, com um belo hotel, lojas, igreja, restaurantes. Aqui vamos ficar pelos próximos 5 dias com a expedição fotográfica da One Lapse, em busca dos pumas selvagens da Patagonia e também das belas paisagens que se descortinam a cada curva na estrada. O hotel é o “El Ovejero Patagonico” que se destaca pelos jantares realmente muito bons.

O nosso guia local e motorista, o argentino Mariano, deu as diretrizes sobre como se comportar ao ver um puma na natureza. São ariscos porém não temem o homem, e não exitarão em atacar caso se sintam acuados.

Cristiano Xavier e Luciano Candisani, os dois fotógrafos líderes da expedição, passaram um briefing no jantar sobre toda a logística que teremos aqui, hora de acordar, sair do hotel, tempo na estrada, espécies nativas, paisagens clássicas. Todos muito ansiosos para que inicie a expedição fotográfica.

O dia seguinte começøu cedo. Às 8 da manhã já estávamos na estrada rumo ao parque nacional Torres del Paine. 8 da matina aqui no outono = escuro total. O Sol nasce as 9:30 essa época por aqui. No caminho, uma linda luz começøu a despontar no horizonte, contrariando as previsões de dia fechado. O grupo decidiu parar para fotografar o que poderia ser um nascer do Sol épico. E foi, mesmo contrariando o guia Mariano, que queria ir logo ao parque encontrar nossos guias locais naturalistas, os que vão antes procurar os pumas: os chilenos José e Rafael. Valeu a pena, o amanhecer foi espetacular, com direito ao fenomeno “alpenglow” quando a luz do Sol, ainda bem vermelha, toca o topo das montanhas antes de iluminá-las por completo, por conta de alguma nuvem bloqueando a mesma.

Mas, nem tudo são flores. Uma hora depois estávamos adentrando o parque e encontrando nossos guias naturalistas, que mostraram em suas câmeras fotos closeup de pumas sensacionais que passearam em volta do seu carro por alguns minutos pela manhã. Ficamos decepcionados mas a decisão já havia sido tomada. Trocamos o amanhecer pelos pumas. Tudo bem, ainda temos alguns dias por aqui.

Começamos então o que se repetiria nos próximos dias: um “tour” de van pelas estradinhas do parque e arredores. Todos em silêncio no carro, tentando ver algo. Muito dificil. São cerca de 100 pumas em todo Torres del Paine, que tem uma vegetação amarelada e rasteira, tal qual a pelagem do puma. Ou seja, uma agulha num palheiro.

Paramos por um tempo em uma lagoa, e ali tivemos alguma sorte com outros animais. Consegui belas fotos de um zorro (raposa) que ficou por ali, um Falcão Quiriquiri, muito ágil, mas perdi um condor que passou rasante sobre nós.

Terminamos o dia sem pumas, fotografando alguns guanacos, figurinhas fáceis por aqui.

Amanhã tem mais.

Dicas, custos e etc

Todos os custos desta parte da viagem já estão incluídos no programa da OneLapse Expedições Fotográficas. São dezenas de destinos nacionais e internacionais, com todo o roteiro pensado por e para fotógrafos. Confira o site deles e boa viagem!